Timbuktu

Escrevo sobre o filme ouvindo a trilha. Simplesmente linda. Composta por Amine Bouhafa, é tão delicada quanto algumas belas cenas que encontramos no filme. Timbuktu é uma pequena vila no norte de Mali, dominada por fundamentalistas islâmicos, onde é proibido cantar ou ouvir música. Desprovida de qualquer forma de expressão artística, a vida transcorre árida como o deserto que cerca a vila. Também é proibido jogar futebol. Aliás, uma das mais belas cenas do filme, digna de lágrimas, fica por conta dos garotos em torno da “bola”. Com criatividade, eles driblam a sanha religiosa por controle e infelicidade.

Timbuktu foi dirigido por Abderrahmane Sissako e conta no elenco com Ibrahim Ahmedit Pino, Abel Jafri, Hichem Yacoubi, Toulou Kiki e Kettly Noel. Indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro de 2.015, o filme nos leva para a tenda de Kidane (Ibrahim) e Satima (Toulou), onde criam a filha e cuidam do pequeno gado. Longe da cidade, tentam manter uma vida simples, na qual o afeto e as noites de lua são companheiros constantes. Um contraste com a vida dos moradores da vila, vigiados dia e noite, premidos pelo jihad, obrigados a esconderem-se em casa ou em suas loucuras para tornar suportável o viver. Assim, o filme nos coloca diante de duas formas de encarar a religião. Infelizmente vence a intolerância, e onde a religião deveria libertar ela aprisiona, castra o espírito e o coloca sob açoite.

Um filme de mulheres corajosas, cujos silêncios e olhares estão repletos de significados. Com uma belíssima fotografia, nos encantamos com a vastidão do deserto e da alma humana, sedenta por expressar-se, por romper as barreiras impostas pela intolerância, fruto da ignorância. Às vezes é difícil aceitar a realidade que nos cerca. Um bom filme a todos!

 

 

1 Comment

  1. […] Um pouco da trilha sonora do filme Timbuktu, composta por Amine Bouhafa. Para ler sobre o filme, clique aqui. […]

Deixe uma resposta